segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira, homenageiam servidores do Sistema Prisional e Segurança Pública



  No último sábado dia 11 de agosto de 2018, a cidade de Juiz de Fora/MG, recebeu o evento em homenagem ao dia do Agente Penitenciário de Minas Gerais (30/07). Evento organizado pela OCIM (Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira), onde foram agraciados com as comendas vários servidores do Sistema Prisional, Polícia Militar, Bombeiros Militares.

A Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira é uma instituição cívica, filantrópica e cultural que tem como pilar do seu objetivo social um dos mais importantes movimentos sócio/culturais e histórico do Estado de Minas Gerais, a INCONFIDÊNCIA MINEIRA. Tem na sua essência uma das mais importantes premiações, ao reconhecimento  de pessoas físicas e jurídicas que prestam comprovados serviços à história, a cultura e a sociedade. Merecer uma das comendas da OCIM, no âmbito militar, por exemplo, é quesito importante no curriculum. No âmbito civil tem o conceito e o respeito de toda sociedade como o “dever cumprido” enquanto cidadão de bem.
É seguidora dos princípios tradicionais da Ordem dos Cavaleiros Hospitalares de Vila rica, criada na antiga capital de Minas Gerais, possivelmente pelo inconfidente Tomás Antônio Gonzaga, por volta de 1779, atuando naquela cidade na época da colônia e que paralelamente as atividades assistenciais praticadas, foi também o berço do movimento que mais tarde veria ser conhecida por Inconfidência Mineira.



  Por fim, parabenizamos à OCIM, na pessoa do Grão Mestre Renato Rodrigues Yagi, Comendador Rodrigo Machado (Agente Penitenciário) e Equipe, ao Agente Penitenciário Everaldo Márcio, ao Dr. Romulo Ferraz (PJMP/MG & EX-SECRETÁRIO/SEDS, profundo conhecedor e Apoiador do Sistema Penitenciário)

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Servidores do Sistema Prisional serão agraciados pela Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira

A Ordem dos Cavalheiros da Inconfidência Mineira através do Grão Mestre Renato Rodrigues Yagi, Grão Mestre Adjunto Celso Rafael de Oliveira e o Comendador Rodrigo Machado, convidam para entrega do Colar Alferes Tiradentes e a medalha Tomás Antônio Gonzaga. 

Será às 19:00 horas,  no dia 11 de Agosto de 2018, na Igreja do Evangelho Quadrangular – Rua Luís Rocha, 599, bairro Eldorado em Juiz de Fora – Minas Gerais.


sábado, 14 de julho de 2018

Palestra do Procurador de Justiça DR. Rômulo Ferraz em Montes Claros/MG


terça-feira, 10 de julho de 2018

Caravana para o Seminário Sistema Prisional, vagas limitadas, garanta a sua!



VOCÊ QUE É AGENTE PENITENCIÁRIO LOTADO NAS UNIDADES PRISIONAIS DE JUIZ DE FORA E REGIÃO, ESTÃO CONVIDADOS A PARTICIPAREM DO SEMINÁRIO SOBRE O SISTEMA PRISIONAL COM OS PRÉ CANDIDATOS, ANASTASIA E CARLOS VIANA DIA 13/07 SEXTA-FEIRA EM BELO HORIZONTE, DESLOCAMENTO TOTALMENTE GRÁTIS, RESERVE SUA VAGA.

ATENÇÃO, CONFIRME SUA VAGA COM OS ASP'S FÁBIO E FERNANDO DA CIESP/JF.

Terá exposição de armamentos de calibre restrito para aquisição dos Agentes.


LOCAL DE SAÍDA: RUA VITORINO BRAGA (PRÓXIMO A CRECHE COMUNITÁRIA)
DIA: 13/07/18 (SEXTA FEIRA)
HORÁRIO: 06HS DA MANHÃ

OBS: RETORNO APÓS O EVENTO

domingo, 8 de julho de 2018

Receita libera na 2ª-feira consulta ao 2º lote de restituição do IR 2018



Os contribuintes poderão fazer a partir das 9h de segunda-feira (9) as consultas ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda 2018.
De acordo com a Receita Federal, o lote também contém restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017.
Serão beneficiados neste segundo lote 3.360.917 contribuintes. As restituições serão depositadas em 16 de julho e totalizam R$ 5 bilhões.
Para saber se foi beneficiado neste lote, o contribuinte pode acessar o site da Receita, aqui, ou ligar para o 146. 


Governo Federal não cumpre acordo com Agentes Penitenciários Federais, que não exerceram mais cargos de chefia sem remuneração


Após o não cumprimento de acordo da entre União e Agentes Penitenciários Federais, os servidores que exercem funções de chefia sem remuneração de gratificação, não irão mais exercer essas atividades. Não se trata de greve geral, os servidores voltaram a suas atividades previstas nas atribuições do cargo em que foram aprovados pelo concurso público.


quinta-feira, 5 de julho de 2018

Lançamento da pré-candidatura do ASP Everaldo Márcio e Dr. Rômulo Ferraz em Juiz de Fora





Foi realizada na noite do dia 05/07/2018 no auditório do sindicato dos metalúrgicos de Juiz de Fora/MG, o lançamento das pré-candidaturas do ASP Everaldo Márcio e Dr. Rômulo Ferraz.
 Estiveram presentes cerca de 120 servidores do sistema prisional, Socioeducativo de juiz de Fora e região, entre Agentes Penitenciários, Gestores Prisionais, Administrativos, Técnicos e Analistas, que puderam conhecer o histórico de atuação e luta dos pré-candidatos.


 Everaldo Márcio que é Agente Penitenciário de carreira, militante classista, fez um breve relato de sua caminhada no sistema prisional, quando começou exercendo suas atividades como Agente Penitenciário em regime de contrato, e logo após sendo aprovado no concurso público da carreira em 2004, tomando posse em 2006 no Alto Paranaíba, Everaldo cita suas lotações nas unidades prisionais, Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires, Complexo Prisional Nossa Senhora do Carmo, novamente Ariosvaldo Campos Pires e por último a Central Integrada de Escoltas do Sistema Prisional, onde já foi Coordenador administrativo e operacional.
 Everaldo também relatou um pouco de seu histórico classista, quando ainda em 2009 era delegado sindical em Juiz de Fora, e foi um dos pioneiros na luta por melhorias nas condições de trabalho dos Agentes Penitenciários de Minas Gerais, posteriormente como diretor executivo do sindicato da categoria, participou de inúmeras tratativas junto a administração pública.
 Everaldo Márcio é pré-candidato a Deputado Estadual, na chamada candidatura puro sangue do Sistema Prisional.



 Já o pré-candidato a Deputado Federal Dr. Rômulo Ferraz, é procurador de justiça do Estado de Minas Gerais, foi Secretario de Estado de Defesa Social de Minas Gerais, quando foi aberto os dois maiores concurso do Sistema, em 2012 e 2013, e aprovado o Porte de Armas para os Agentes Penitenciários do Estado, em 2013, antes mesmo do Porte de Arma nacional, em 2014.
 Dr. Rômulo, profundo conhecedor das demandas dos servidores prisionais, também fez um breve relato de seu histórico funcional, mas também se colocou a disposição em continuar a somar forças com a nobre carreira dos Agentes Penitenciários, que necessitam de leis e regulamentações na esfera federal.



Blog dos Agentes Penitenciários de Juiz de Fora

Estado não envia ração para cães que ajudam na segurança de presídios da Zona da Mata há três meses

IMAGEM: G1 ZONA DA MATA

O Estado de Minas Gerais não envia ração para cães das unidades prisionais da Zona da Mata há três meses. A denúncia foi feita pela Associação do Sistema Socioeducativo e Prisional de Juiz de Fora (Asprijuf).
Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) afirmou que está ciente da questão, causada porque o fornecedor de rações não cumpriu o contrato e, por isso, está sofrendo sanções administrativas. A secretaria disse que já autorizou às unidades o procedimento de compras simplificado até que a situação seja solucionada com o fornecedor.
De acordo com o presidente da Asprijuf, Wanderson Pires, o déficit ocorre em várias unidades prisionais da 4ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp). Em alguns casos, os próprios agentes penitenciários estão comprando alimentos, vacinas e medicamentos para os animais, que fazem parte do grupamento policial.
O representante dos agentes explicou que o estado vem fracionando as remessas para as unidades há pelo menos dois anos, mas que agora o pagamento deixou de ser feito, o que agravou a situação.
“O estado tem vários contratos firmados com empresas e está deixando de cumpri-los, não está efetuando os pagamentos. Com isso, estamos com precariedade e até má qualidade nos produtos e serviços”, disse. 

Fenaspen articula derrubada do veto em Brasília

Senador Eunício Oliveira (MDB-CE), presidente do Senado, cumprimenta Fernando Anunciação presidente da Fenaspen, e Marcos Ferreira, diretor Defesa de Classe do SindSistema-RJ. FOTO: SINDSISTEMA


SindSistema participa da mobilização da Fenaspen

Essa quarta-feira (04) foi um dia de muito trabalho no Congresso Nacional para o presidente da Federação Sindical Nacional de Servidores Penitenciários (Fenaspen), Fernando Anunciação, que esteve realizando visitas às lideranças do Senado e Câmara dos Deputados, acompanhado dos diretores sindicais Marcos Ferreira (SindSistema-RJ), Santiago (MS), Zeca Medeiros (AL) e Diana (GO), no intuito de solicitar requerimento de destaque para rejeição aos vetos da lei do SUSP. Foram vários os líderes de bancada conquistados em apoio à quebra do veto n°.20, nos artigos 9° e 44° que consideram de natureza policial a atividade exercida por agentes/inspetores penitenciários.
O senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) falou aos sindicalistas que irá trabalhar para a derrubada do veto do presidente Michel Temer ao reconhecimento da atividade de polícia dos profissionais de segurança penitenciária.
Em conversa com o Deputado André Moura (PSC-SE), líder do governo no congresso, foi recebida a informação de que o veto n°. 20, referente à lei do SUSP, será apreciado apenas após o recesso parlamentar.
Segundo o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), a sessão para análise do veto vai acontecer após o recesso, logo na primeira sessão do Congresso Nacional. Cabe lembrar que a partir do dia 11 de julho a pauta fica trancada até que o veto n°. 20, referente à lei do SUSP, seja apreciado.
“Diante da informação recebida, torna-se prudente suspender as mobilizações previstas para as próximas duas semanas”, ponderou o presidente da Fenaspen Fernando Anunciação ao reiterar que o trabalho de abordagem aos senadores e deputados deve continuar em cada estado.
No retorno do recesso previsto para primeira semana de agosto, serão retomadas as mobilizações e acompanhamento da pauta e a convocação de sessão do Congresso, quando deverá ser apreciada a rejeição ao veto.


LEIA MAIS:
http://www.sindsistema.com.br/noticias/658 

Parcelamento de salário vai até o fim do governo Pimentel e atrasos devem continuar



Pimentel lançou um plano de desenvolvimento da gastronomia nesta quinta-feira (foto: Beto Novaes / EM / D.A. Press)

Segundo o secretário de Planejamento e Gestão, a quitação mensal da folha depende de as empresas pagaram o estado em dia

 

 O parcelamento dos salários dos cerca de 600 mil servidores de Minas Gerais e os atrasos das datas das escalas anunciadas devem continuar até o fim do governo Fernando Pimentel (PT). A situação foi admitida nesta quinta-feira (5) pelo secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, que participou do lançamento do plano estadual de desenvolvimento da gastronomia, junto do governador petista.

 A possibilidade de acabar com o escalonamento chegou a ser acenada em fevereiro por Pimentel como um horizonte para abril deste ano, mas, de acordo com Helvécio, ela não existe mais. “Poderia, mas não tem mais a mínima possibilidade”, afirmou o secretário de Planejamento hoje ao Estado de Minas.

De acordo com Helvécio Magalhães, os atrasos nos pagamentos se devem ao fato de o governo de Minas estar pagando os salários com recursos correntes.

“Aí é a imprevisibilidade. O que entra está sendo usado para pagar, então depende de as empresas, as grandes contribuintes pagarem no dia e nem sempre elas fazem isso. É uma oscilação do fluxo financeiro, exclusivamente.”

 De acordo com Helvécio, o fluxo financeiro do estado tem piorado. “Não entraram os recursos, a Assembleia não vota os projetos, não entrou o empréstimo porque o Tribunal de Contas do Estado Bloqueou e o mercado se assustou. Temos um déficit que está publico, nós sempre anunciamos, e ele vira contingenciamento financeiro”, explicou. O secretário reforçou que não há nenhuma decisão superior ou estratégica sobre os pagamentos que não tenha relação com o fluxo fianceiro.

Fazendo as contas

Para pagar o salário de julho, cujas datas de pagamento não foram anunciadas até a manhã desta quinta-feira, Helvécio Magalhães disse que o governo está “refazendo as contas”.

Segundo Helvécio, os efeitos da greve dos caminhoneiros ainda estão influenciado a situação de piora financeira do estado, que perdeu pelo menos R$ 400 milhões. 

 

LEIA MAIS:

  https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2018/07/05/interna_politica,971448/parcelamento-salario-vai-ate-fim-governo-pimentel-atrasos-continuam.shtml