segunda-feira, 30 de março de 2015

Regulamentação da compra de arma de uso restrito sai essa semana


 A FENASPEN, por meio de seus diretores, Chiquinho do Rio de Janeiro e Carlinhos de Minas Gerais, estiveram hoje reunidos com o Comandante do Exercito em Brasília.

 Reunião intermediada pelo defensor de nossa categoria no congresso nacional, Dep. JAIR BOLSONARO.
 Nossa sonhada regulamentação de compra de armas de calibre restrito será editada essa semana e no mais tardar na semana que vem será publicada no Diário Oficial da União. 
 Segundo garantiu o Comandante Geral do Exercito.



Fonte e Fotos: Fenaspen

Cabo Júlio enviará projeto de lei para instituir dia do Agente Prisional em Minas


 Com o compromisso de representar também a categoria dos Agentes Penitenciários na ALMG, o deputado estadual Cabo Júlio (Vice-Líder do Governo), enviará um projeto instituindo o dia do Agente Prisional em Minas Gerais, será mais uma vitória para a categoria, pois dará mais visibilidade aos Agentes Penitenciários junto à sociedade mineira.
 O dia do Agente Prisional será comemorado anualmente em 7 de março.

domingo, 29 de março de 2015

Manifestação no IPSEMG-JF



 ATENÇÃO COMPANHEIROS DO SISTEMA PRISIONAL;


VAMOS NOS UNIR COM O SINDICATO ÚNICO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO SUBSEDE JF, NESTA TERÇA-FEIRA 31/03 ÀS 10 HORAS NA PORTA DO IPSEMG DE JUIZ DE FORA.

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

POR UMA SAÚDE MELHOR PARA NÓS SERVIDORES E FAMILIARES

sábado, 28 de março de 2015

Alexandre Guerreiro, Allan Marques e Uarlei Santos são inocentados em processo administrativo disciplinar SEDS/SUAPI

Jornalista: Magno Willian
Absolvidos conforme publicação no iof.mg deste sábado (28) pela CORREGEDORIA - SEDS/SUAPI no processo administrativo disciplinar, os Agentes Penitenciários: Alexandre Guerreiro, Allan Marques e Uarlei Santos. Choraram de emoção quando sofriam "bullyng", por uma minoria que os criticavam desde 29 de abril de 2013, quando ocorreu o ato mais arbitrário do sistema prisional norte mineiro "o afastamento desses servidores". No entanto, a assessoria de comunicação do blogueiro Alexandre Guerreiro parabeniza o  advogado Dr. Roberto Miranda pelo desempenho no caso, que não mediu esforços para destrinchar os processos com conteúdos viciosos e caluniosos em desfavor dos agentes, que juntos e fortes provaram a inocência de todos. No tocante, o Dr. Roberto Miranda fomentou que as providências serão tomadas até que os direitos dos seus clientes sejam ressaciados, porque teve perdas e danos e os acusadores serão processados por denunciação caluniosa.
FONTE: MW-NOTÍCIAS 


quarta-feira, 25 de março de 2015

Agentes Penitenciários se capacitam com instrutor de cães das forças de segurança dos Estados Unidos



 Agentes Prisionais do Grupo de Operações com cães ( GOC ) das unidades Ceresp/JF e do Presidio de Santos Dumont, participaram do seminário internacional de cães de faro em Goiânia/GO com o instrutor KEN LICKLIDER,instrutor e formador de cães de detecção de narcóticos e explosivos para as forças de segurança dos EUA, onde participaram várias forças de segurança do nosso país.Municipais , Estaduais e Federais.


domingo, 22 de março de 2015

Agente penitenciário é encontrado amarrado e morto dentro de rio em João Pessoa

Após uma ligação anônima para a Polícia Militar, dando conta de que havia um corpo dentro do rio Jaguaribe próximo a comunidade “Vale das Palmeiras”, no bairro Cristo Redentor, zona oeste da Capital, as diligencias comprovaram a veracidade da denuncia.
O Corpo de Bombeiros retirou da água um homem que estava com os pés e as mãos amarradas. A vítima foi identificada como, Ivonilton Wanderley Coriolano Júnior, 38 anos, ele é filho do Delegado de Policia Civil, Ivonilton Wanderley Coriolano, que é ex-gerente do Sistema Penitenciário da Paraíba.
A vítima era Agente Penitenciário e trabalhava no Presídio Feminino Júlia Maranhão, em João Pessoa. Apesar de não ter sido encontrado perfurações de arma de fogo ou de arma branca, a vítima apresentava um corte na nuca e pode ter sido executada por afogamento, entretanto, só a perícia determinará a causa da morte.
Este é o segundo Agente Penitenciário morto nos últimos cinco meses na Grande João Pessoa. O caso anterior ocorreu no dia 05/11/2014, quando o Agente Nicássio Cordeiro, foi executado dentro da sua casa, na cidade de Bayeux, Região Metropolitana da Capital.

Fonte: http://www.portaldolitoralpb.com.br/agente-penitenciario-e-encontrado-amarrado-e-morto-dentro-de-rio-em-joao-pessoa/

ASP Márcio Cleiton de Montes Claros já está em treinamento com Instrutor Zero

Instrutor Zero, Eduardo Bolsonaro, ASP Márcio Cleiton ao fundo
 O Agente Penitenciário, Márcio Cleiton de Montes Claros/MG, se encontra em São Paulo participando dos treinamentos com o Instrutor Zero, o melhor atirador do mundo.
 Instrutor Zero é um ex-militar das forças especiais Italiana, considerado como o melhor atirador do mundo, Zero percorre todo o mundo ministrando treinamentos para os operadores de segurança pública.
 Antes de ir para São Paulo, Zero ministrou um curso para os policiais do BOPE no Rio de Janeiro.
 ASP Márcio Cleiton está na mesma turma do Deputado Federal Eduardo Bolsonaro que é Policial Federal.

 Blog dos Agentes Penitenciários de Juiz de Fora

Livro escrito por detentos será distribuído em escolas de MG para prevenir a criminalidade


Luiz Silveira/Agência CNJ
Livro escrito por detentos será distribuído em escolas de MG para prevenir a criminalidade

Um livro com poemas escritos por detentos será distribuído a dois mil alunos de escolas da região de Cataguases/MG, dentro de uma estratégia de prevenção da criminalidade. Em parceria, a Subsecretaria de Administração Prisional de Minas Gerais e a Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina, na qual Cataguases está inserida, pretendem utilizar o testemunho dos presos para mostrar aos jovens que o crime não compensa. Em Poetas da Liberdade, os versos expressam sentimentos comuns ao dia a dia do cárcere: o medo, a fé, o arrastar do tempo, a saudade, o sofrimento e a solidão.

Em 112 páginas, o livro reúne 80 poemas de 65 internos do Presídio de Cataguases, matriculados na Escola Estadual Marieta Soares Teixeira, que mantém um núcleo educacional no interior da unidade prisional. Recentemente, o livro foi aprovado para receber recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Cataguases, o que vai permitir a distribuição de dois mil exemplares a estudantes do ensino fundamental e do médio. A ação vai priorizar escolas dos bairros onde vivia a maioria dos detentos do presídio.

Durante o ano letivo, os versos dos detentos serão recitados e discutidos nas aulas de Literatura. Haverá também palestras nas escolas, proferidas pelo diretor do presídio, Alan Neves, por servidores da unidade prisional e por um ex-detento. O tema da primeira rodada de palestras está definido: “A Droga e o Sistema Prisional Mineiro”.

Conscientização – A iniciativa em Minas Gerais está em sintonia com os princípios do Programa Começar de Novo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que busca conscientizar instituições públicas e privadas sobre a importância das ações de reinserção social de detentos para a prevenção da reincidência criminal. “Com o livro, as pessoas que desconhecem o universo prisional, especialmente os jovens, podem passar a dar mais valor ao que há de melhor na vida: a liberdade”, destaca o diretor do Presídio de Cataguases.

Segundo ele, os poemas foram escritos em sala de aula, com tema livre ou a partir de uma técnica em que os detentos deveriam imaginar-se como algum animal, misturando a própria vida com a dele. O convite à poesia também incluiu oficinas e palestras ministradas por escritores e poetas da região. A primeira edição de Poetas da Liberdade foi lançada em novembro de 2013 com 57 poemas de 47 internos do presídio. A tiragem era pequena, de 240 exemplares, em função da escassez de recursos.

“A ideia inicial era permitir que, a partir da poesia, os internos passassem por um processo de autoconhecimento. Verificamos que, por causa dessa estratégia, o comportamento dos presos envolvidos no projeto mudou. A disciplina na unidade, por exemplo, melhorou muito. Depois, passamos a considerar que esse testemunho poderia ser acessível aos jovens da região, com foco na prevenção da criminalidade. Então, decidimos levar o livro às escolas”, conta o diretor do presídio, um dos principais idealizadores da publicação.

Para o professor João Dioni Sarquer Augusto, diretor da Escola Estadual Marieta Soares Teixeira, a iniciativa de levar a poesia dos detentos aos alunos “tem tudo para dar certo em termos de prevenção da criminalidade e do uso de drogas. As mensagens dos versos do livro são muito fortes, e muitas falam de coisas tristes vividas dentro da prisão. Falam, também, do arrependimento dos presos por terem entrado para o crime. É certo que os estudantes serão tocados por isso”.

Ao falar sobre o “poder transformador da educação”, o professor destaca o aumento da autoestima dos detentos que estudam e seu bom rendimento escolar. Segundo ele, dos 20 internos que fizeram o último Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), apenas um tirou zero na redação. Além disso, cinco conseguiram nota suficiente para ingressar em uma universidade.

“O que falta é a sociedade despertar para importância de participar do processo de recuperação dos presos. São pessoas que erraram, estão pagando pelo que fizeram, e será muito bom para todos nós se elas retornarem ao convívio social devidamente integradas”, disse o educador, destacando que “esse retorno pode estar bem próximo para os alunos da escola, pois dois deles fizeram o último Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e conseguiram entrar na Faculdade”. Um dos aprovados vai cursar Engenharia de Produção, e o outro, Pedagogia, ambos na FIC (Faculdades Integradas de Catuaguases.

Superlotação – O Presídio de Cataguases está superlotado com 240 detentos provisórios (ainda não julgados), número bem superior à capacidade, de apenas 96 vagas. A unidade é destinada a abrigar presos em flagrante ou que foram alvos de mandados de prisão.

O núcleo educacional em funcionamento no local tem uma média anual de 80 internos matriculados. As aulas, além de caminho para nova vida, são uma oportunidade para eles se manterem afastados, mesmo que por alguns momentos, das celas superlotadas. Outro benefício está previsto na Lei de Execução Penal: o tempo da pena é reduzido em um dia a cada 12 horas de estudo, divididas, no mínimo, em três dias.

Jorge Vasconcellos
Agência CNJ de Notícias

Fonte: http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/31003-livro-escrito-por-detentos-sera-distribuido-em-escolas-de-mg-para-prevenir-a-criminalidade