quarta-feira, 11 de abril de 2018

Alimentação em presídios do Rio


Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) contratou em março, sem licitação, 14 empresas para fornecer alimentação aos presídios do Rio de Janeiro. Dentre essas terceirizadas, pelo menos, 03 são investigadas em diferentes ações pelo país. Três delas na Lava Jato no RJ. O valor total dos contratos é de pouco mais de R$ 166 milhões. A Seap ressalta que o processo é previsto em lei e garantiu dar "um choque de gestão" na pasta. 

 Os novos contratos de comida para os presos substitui os acordos firmados em dezembro de 2017 pelo então secretário da Seap, Erir Ribeiro. Na ocasião, 13 empresas foram escolhidas, também sem licitação, com valores de cerca de R$ 192,2 milhões. Apesar da redução de valores, há similaridade entre os fornecedores das duas gestões, sobretudo na escolha de participantes investigados pela Lava Jato ou alvo de operações policiais em diferentes estados do país. 

 

LEIA MAIS: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/mesmo-em-meio-a-auditoria-seap-continua-contrata-8-empresas-investigadas-na-lava-jato-sem-licitacao.ghtml

Familiares identificam corpos de detentos mortos em tentativa de fuga de presídio no Pará

FOTO:SUSIPE






Familiares dos detentos que foram mortos na terça-feira (10) durante uma ação frustrada de fuga do Complexo Penitenciário de Santa Izabel do Pará, no nordeste do estado, foram até o Instituto Médico Legal (IML) em Belém para reconhecer os corpos e aguardar a liberação. A perícia faz a identificação por meio de impressão digital.

Dos 21 corpos, dez foram levados para Belém e 11, incluindo o do agente penitenciário, estão no IML em Castanhal. Além dos mortos, quatro servidores ainda continuam internados. Os agentes prisionais Daniel Lobato, Robson Nazareno e Edson Oliveira passaram por cirurgia e apresentam quadro estável; já o agente Rosivaldo Silva passou por exames e está em observação. Todos os demais agentes já foram liberados e passam bem. O número de presos feridos ainda não foi informado.
Os mortos são um agente penitenciário, Guardiano Sanatana de 57 anos, cinco presos e 15 suspeitos de tentar invadir o presídio para apoiar a fuga, segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) do Pará. O caso ocorre um dia após uma série de 12 assassinatos na Grande Belém. A secretaria disse não haver relação entre os dois episódios. 

quinta-feira, 1 de março de 2018

Venha recepcionar o Pimentel em Juiz de Fora/MG


🚨Informe urgente!🚨


GRUPO DE MOBILIZAÇÃO  INDEPENDENTE , SINDPOL -JF e o SINDASP,  convocam todos os Operadores da Segurança Pública a comparecerem na Inauguração do Teatro Paschoal Carlos Magno, situado atrás da Igreja de São Sebastião no Parque Halfeld, centro de Juiz de Fora/MG, nesta sexta  feira dia 02 de Março de 2018,  exigimos nossos 3 BILHÕES DE REAIS subtraídos do IPSM de volta e recomposição das perdas salariais. Venha traga seu apito, vamos mostrar para ele nosso descontentamento PIMENTEL CALOTEIRO, DEVOLVA MEU DINHEIRO !!! JUNTOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!

Cláudio Corrêa, Sub Ten
Coordenador.

União, Atitude e Independência.

Governo de Minas negocia o pagamento dos atrasados de progressões e promoções dos Agentes Penitenciários e não cumpre o acordado


 Após vários ofícios encaminhados ao Governo do Estado de Minas Gerais e intervenção feita pelo Ouvidor Geral do Estado Sr. Wadson Ribeiro, o Secretário de Planejamento Dr. Helvécio Magalhães, recebeu o SINDASPMG e garantiu que o Governo iria pagar os atrasados das progressões e promoções na carreira que estão em atraso.
 Logo após o anúncio, o próprio Governo informou que pagaria em 08 vezes apartir da folha do mês de fevereiro, paga no mês de março.

Hoje 01/03/2018, os Agentes Penitenciários foram surpreendidos após a liberação do contracheque, sem o pagamento da primeira parcela dos valores atrasados. Mas uma vez o Governo de Minas Gerais, trata de forma desrespeitosa os Agentes Penitenciários.

 Estamos aguardando o pronunciamento do Governo, que sempre é feito pelo Sr. Calazans, que um dia já foi sindicalista, e hoje se encontra no Governo sempre contando história para as entidades de classe e levando dos servidores enganados.



terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

STF suspende bloqueio de verbas nas contas de Minas Gerais

Na liminar, a ministra Rosa Weber ressaltou a importância do diálogo entre o Estado e a União(foto: Carlos Moura/SCO/STF)


Na decisão liminar, a ministra determinou ainda que o governo federal devolva ao Estado exatos R$ 122.225.850,33 – dinheiro que havia sido transferido para o Tesouro Nacional. 

Na liminar, a ministra concedeu à União o prazo de 30 dias para contestar a ação e ordenou a suspensão da inscrição de Minas Gerais nos cadastros restritivos federais, tais como o CAUC/Cadin.

Rosa Weber ainda ressaltou a importância de um acordo entre o governo mineiro e o federal sobre o assunto. "Enfatize-se a imprescindibilidade do diálogo e da cooperação institucionais para a solução dos conflitos que envolvem as unidades federativas (artigo 102, I, f, da CF), sobre os quais a atuação coercitiva do Poder Judiciário deve ser sempre supletiva e parcimoniosa", escreveu.

A decisão foi tomada durante julgamento de uma ação apresentada pela Advocacia Geral do Estado (AGE) em que o Estado pedia a suspensão do bloqueio e a devolução dos recursos. 

O advogado-geral do Estado, Onofre Batista, comemorou a decisão.  “O verdadeiro absurdo foi reparado”.  

A Assessoria do Ministério da Fazenda informou que o órgão não vai se pronunciar sobre a decisão do STF.

Bloqueio em contas de Minas coloca em risco salário de servidores

De acordo com advogado-geral Onofre Batista, Estado já recorreu ao STF para tentar suspender o bloqueio de verbas no caixa(foto: Clarissa Barçante/ALMG)


Servidores públicos de Minas Gerais – incluindo Executivo, Legislativo e Judiciário – podem ficar sem o salário de fevereiro. 

A caixa estadual está zerado em razão de um bloqueio nas contas do Executivo determinado pela União na sexta-feira passada.

Nessa segunda-feira, os R$ 122 milhões que haviam na conta do Estado foram transferidos para o Tesouro Nacional. A ordem é de bloquear R$ 6 bilhões, dinheiro que Minas estaria devendo à União desde o segundo semestre do ano passado, quando uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu os pagamentos.


Em nota, a Advocacia-geral do Estado (AGE) afirmou que o bloqueio “prejudica, diante da notória situação de calamidade das finanças públicas, o compromisso do Estado de pagamento da folha de pessoal do Poder Executivo, bem como o repasse dos recursos necessários aos demais Poderes para honrarem as respectivas folhas de pagamento do mês em curso”. 

LEIA MAIS NO LINK ABAIXO:

sábado, 24 de fevereiro de 2018

NOTA DE FALECIMENTO


COMUNICAMOS COM PESAR O FALECIMENTO DO ASP MARCO AURÉLIO CHAGAS SANTOS (MARCÃO) LOTADO NA CIESP/JF.

O CORPO SERÁ VELADO NA CAPELA 07 DO CEMITÉRIO MUNICIPAL
SEPULTAMENTO DIA 25 NA MESMA NECRÓPOLE

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Bilhete diz que Gegê do Mangue e Paca foram mortos por 'roubar' dinheiro de facção; MP investiga

Bilhete encontrado na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau indica que Gegê do Mangue e Paca (nas fotos) foram mortos porque desviaram dinheiro da facção (Foto: Reprodução/Divulgação)



Um bilhete achado na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, reforça a suspeita investigada pelo Ministério Público de que Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, foram mortos no Ceará pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) porque supostamente desviaram dinheiro da facção criminosa.
Promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP aguardam receber o papel para apurar a suspeita e tentar identificar quem executou Gegê e Paca na semana passada em Aquiraz, a 30 quilômetros de Fortaleza. Os dois eram membros do PCC e estavam foragidos da Justiça.
“Amigos aqui é o resumo do Pe quadrado [Penitenciária] e mais uns irmãos. Ontem foram chamados em uma ideias, aonde nosso ir [irmão] cabelo duro deixou nois [sic] ciente que o fuminho mandou matar os (...) o GG e o Paka. Inclusive o ir cabelo duro e mais alguns irs [irmãos] são prova que os irs [Gegê e Paca] estavam roubando”, informa o bilhete escrito a caneta num pedaço de papel.